• Galileo Kids

Os porquês das crianças: um mundo de descobertas.


Se você já foi surpreendido pelos porquês do seu filho vai entender o quanto essa fase é importante para o desenvolvimento da criança. Por mais simples ou por mais intrigantes que sejam, esses questionamentos não devem ser ignorados, ao contrário, devem ser  valorizados.


Essa fase, conhecida como “fase do por quê”, ocorre frequentemente com crianças de 3 a 4 anos e representa um período de curiosidade e indagações marcante no desenvolvimento da inteligência.


A criança por volta dessa idade já apresenta certa autonomia em diferentes tarefas, porém, torna-se questionadora e os porquês passam a fazer parte do seu cotidiano. E diante de tantos porquês é necessário muita paciência e respeito por parte dos adultos que convivem com  ela, pois não se pode perder de vista que as crianças estão construindo suas próprias maneiras de pensar.


De acordo com Jean Piaget (2003) nessa fase a criança ainda raciocina do ponto de vista dela e espera objetividade nas respostas, desinteressando-se quando as respostas são cheias de detalhes e partem para o abstrato. As respostas devem ser dadas de forma objetiva evitando respostas ao acaso como “porque sim” ou ainda “porque é”. A criança nessa fase já distingue a fantasia do real, podendo dramatizar a fantasia sem que acredite nela. Porém, seu pensamento continua egocêntrico.


Ainda segundo Piaget (2003 ) como a criança não se atém nos detalhes, ela se deixa levar por tudo o que vê e ouve, não conseguindo relacionar os fatos. Esse momento é chamado por Piaget de período pré-operatório, quando por exemplo, passamos a mesma quantidade de um líquido de um copo maior  para um menor, a criança nega que a quantidade de líquido seja a mesma baseada na diferença das formas do copo. Ou seja, ela ainda não compreende a relação entre as situações e sempre vai perguntar:  por quê?


Esse momento é preciso uma mudança na qualidade do diálogo adulto-criança e maior atenção para não interpretar as perguntas como uma incapacidade de compreensão. Esse é um momento de amadurecimento cognitivo e a pergunta é um exercício para o desenvolvimento da inteligência, da personalidade e da identidade. Assim, atitudes hostis podem gerar inibição, causar vergonha ou medo e até mesmo desinteresse por querer perguntar e descobrir.


Ao longo do seu desenvolvimento, a criança vai compreendendo o mundo que a rodeia, as causas das coisas e aos poucos deixará de questionar sobre as coisas do cotidiano e  voltará  suas questões e atenção para outras aprendizagens.

Portanto, os porquês fazem parte do desenvolvimento da criança, são os porquês que fazem a descoberta acontecer. E a maior descoberta é o conhecimento!


Escrito por: Luciana Moura