• Galileo Kids

Os 5 Pilares do Desenvolvimento Emocional de Crianças Pequenas


Compreender os próprios sentimentos, o dos outros e saber lidar com ele, é o que chamamos de inteligência emocional (Nome designado por Daniel Goleman). Uma criança emocionalmente saudável não é aquela que nunca se frustra, chora ou se irrita, mas a que tem habilidade de compreender suas próprias emoções.

Segundo o psicólogo Marcelo Mendes da PUC Campinas existem 5 pontos chaves que auxiliarão no desenvolvimento do quociente emocional do seu filho.


Vínculos afetivos e efetivos: Os pais precisam encontrar tempo para criar vínculo com seus filhos, conversar, orientar, olhar nos olhos e entender as angústias. Isso contribui para que seu filho sinta-se seguro e saiba que poderá contar com você.


Autoestima: Elogie os esforços de seu filho, motive-o a estar sempre se superando, a confiar no próprio potencial sem depender de opiniões alheias. Isso o deixará mais seguro e confiante.


Resiliência: Segundo estudos realizados na Universidade da Pensilvânia (EUA) descobriu-se que escolas preocupadas em ensinar resiliência e otimismo diariamente protegem as crianças contra depressão, aumentam a satisfação com a vida e melhora a aprendizagem. Resiliência é uma habilidade ligada à capacidade de lidar com problemas e superar obstáculos. Entender que nem sempre as coisas serão como desejamos e que, há momentos de ceder, recuar ou esperar é um exercício dessa habilidade.


Frustrações: Dizer “não” ao seu filho em alguns momentos é uma atitude saudável, ele irá se decepcionar e chorar, mas isso lhe dará um choque de realidade. Explique sempre o motivo da negativa, aos poucos ele irá adquirir consciência crítica e se houver birra, ofereça apoio e carinho. Diga que entende que ele está decepcionado, mas ajude-o a lidar com isso.


Brincadeira: Adriana Friedmann (antropóloga e coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em simbolismo, infância e desenvolvimento de São Paulo) diz “O brincar e a arte são formas de expressão que possibilitam elaborar situações do cotidiano, externando sentimentos” Aquilo que seu filho não sabe expressar pode ser verbalizado de forma espontânea numa brincadeira. As brincadeiras coletivas trazem regras e as crianças vão aprendendo que nem sempre as coisas serão ao seu modo.


Segundo a psicóloga Silvia Álava os pais devem ensinar a criança a pensar, a se colocar no lugar do outro, ensinar a criança a expressar suas emoções e controlá-las. Usar frases curtas, dar o exemplo, pois a criança aprende observando as ações dos pais e cuidadores.


Inteligência emocional é uma habilidade que exige treino, mas com apoio e afeto a criança irá sentir-se segura e capaz de lidar com suas emoções.


Por Cristiane Marino - Coordenadora na Galileo Kids